Armagedrum

  • Ano de estréia: 2014
  • Eventos: Winter Challenge X (2014), Submarino URC 2015, Winter Challenge XI (2015), Summer Challenge 2015, Winter Challenge 2016, Submarino URC 2017 e FMB World Cup 2017
  • Conquistas: 13° lugar no WCX, 2º lugar no Submarino URC (2015), 2º lugar no WCXI, 3º lugar no SC2015, 1º LUGAR no WC2016, 3º lugar no URC 2017 e 1º LUGAR no FMB World Cup 2017
  • Arma: Tambor de impacto vertical

O robô Armagedrum, da categoria Featherweight (13,6kg), fez sua estreia no Winter Challenge X e é o primeiro projeto da Equipe ThundeRatz a utilizar um tambor de impacto vertical como arma. Foi realizado um grande trabalho de “Benchmarking” da Equipe, estudando e analisando projetos que utilizam sistemas similares como o Aquiles da Equipe Troia e o Touro da Equipe RioBotz.

O sistema da arma é movido por um motor Brushless, que permite que o tambor chegue em sua velocidade máxima de rotação, 9500RPM, em menos de dois segundos. O motor desse sistema é biapoiado por meio de uma caixa de alumínio aeronáutico o que garante uma maior confiabilidade do sistema além de ser passível de ser ajustado seu posicionamento para sempre garantir a melhor tensão em suas correias.

A parte estrutural foi toda calculada por meio de softwares e procedimentos de mecânica dos sólidos e seu tambor simulado em softwares de CAE de maneira a aguentar altíssimos impactos. A usinagem de um tambor de geometria tão complexa só foi possível graças ao nosso patrocinador, Toyo Matic, que com sua excelência em usinagem de precisão nos proporcionou a fabricação de uma peça extremamente resistente.

A eletrônica que controla o brushless, devido aos altos picos de correntes e a sua complexidade é importada de um modelo utilizado em aeromodelismo de grande porte. Já a eletrônica da locomoção foi desenvolvida 100% pela equipe de forma otimizada focando uma grande confiabilidade com dimensões e massa reduzidas. Para garantir a qualidade das placas e de suas trilhas, as eletrônicas são projetadas pelos membros da equipe e produzidas na China.

Apesar das dificuldades iniciais, o projeto mostrou-se eficaz e tornou-se o robô de combate mais premiado da equipe.