K-Torze

  • Ano de estréia: 2014
  • Eventos: Winter Challenge X (2014), Submarino URC 2015, RoboGames 2015, Winter Challenge XI (2015), Summer Challenge 2015, RoboGames 2016, Winter Challenge 2016, Submarino URC 2017 e RoboGames 2017
  • Conquistas: 5º lugar no WCX, 6º lugar no URC 2015, 9º lugar na RoboGames 2015, 3º lugar no WCXI, 5º lugar no SC2015, 6º lugar no WC2016, 5º lugar no URC 2017, 6º lugar na RoboGames 2017, 5º lugar no Submarino URC 2017 e 3º lugar no WCXIII
  • Arma: Disco de impacto vertical

O robô K-torze foi assim apelidado em homenagem ao robô inspirador do projeto: K2, da equipe Team Velocity. Este projeto teve como principal apoiador o Fundo Patrimonial Amigos da Poli. Essa associação tem por objetivo captar doações e aplicar esses recursos em projetos da Escola Politécnica da USP. O Fundo visa, acima de tudo, a perpetuidade e manutenção do capital doado, podendo assim apoiar projetos como esse.

Utilizando a experiência da Equipe com robôs verticais e visando uma mobilidade superior para uma categoria tão dinâmica quanto a Lightweight, o robô foi projetado para mover-se com extrema agilidade sobre 4 rodas. Utilizando motores da linha de alta performance da MagMotor, a locomoção foi inteiramente projetada e fabricada pela Equipe, otimizando assim sua relação peso/taxa de redução.

Além disso, seu disco rotativo – totalmente simulado em software de CAE (Computer-aided engineering ) – foi fabricado em peça inteiriça, o que garante a integridade do sistema da arma. O robô também conta com uma estrutura totalmente baseada em resultados de software de otimização topológica, o que permite uma melhor distribuição de massa no robô.

Inspirada nos famosos shields de Arduino, a eletrônica do projeto é dividida em três módulos verticais para garantir uma melhor disposição de espaço no robô. Além disso, K-Torze é o primeiro robô da Equipe a ter um sistema de telemetria implementado diretamente em sua eletrônica, que grava dados como valores de tensão nas baterias e correntes em cada locomoção e arma. A análise posterior desses dados facilita a identificação de problemas e de melhorias a serem implementadas nos projetos de eletrônica de potência da Equipe.

O conjunto de todos esses fatores e muito trabalho em equipe resultou em um robô extremamente confiável, ágil e incrivelmente resistente.